O que são índices de rentabilidade e como analisá-los

Índices de rentabilidade: descubra o que são e como analisá-los

Uma boa empresa deve ser perenemente rentável, concordam? Por rentabilidade, entendemos o quanto o empresário tem de retorno do investimento que ele fez. Se uma empresa não tiver bons índices de rentabilidade, seria melhor que o empreendedor tivesse investido o dinheiro em outra modalidade de investimento e não abrir um negócio, certo?

Imagine o seguinte cenário hipotético: em uma economia em que a renda fixa paga 10% ao ano, qual seria o sentido de abrir uma empresa que gera retorno de 5% ao ano sobre o seu patrimônio líquido? Não seria melhor colocar esse dinheiro na tal aplicação de renda fixa?

É por isso que, em certas condições macroeconômicas, altas taxas de juros são prejudiciais e desvantajosas ao surgimento de novas empresas e expansão das que já existem, pois o custo do crédito fica muito alto.

É óbvio que ninguém abre uma empresa para quebrar e nem tem como ter cem porcento de certeza de quão rentável aquele negócio será, mas, por meio de estimativas, é possível entender se o negócio tem entregado bons resultados de rentabilidade.

Nesse artigo, vamos aprender quais são os principais índices de rentabilidade de uma empresa e como interpretá-los. Lembrando aqui, amigo investidor, que esse é o terceiro e último post da nossa série de índices de análise fundamentalista. Os dois anteriores foram:

O que são índices de rentabilidade?

Índices de rentabilidade são termômetros da análise fundamentalista que permitem que o investidor avalie o quão rentável é uma empresa em determinado mercado. Ou seja, quanto o investimento inicial para constituir o negócio e os resultados das suas operações tem gerado de retorno para os proprietários.

É importante sempre lembrar que nenhum indicador deve ser estudado isoladamente, mas sua averiguação é orientada num somatório de estudos de outros indicadores da empresa, condições de mercado e momento econômico atual.

São vários indicadores que podemos utilizar para esse diagnóstico, mas os quatro principais e mais utilizados no mercado são: giro do ativo, margem líquida, rentabilidade do ativo e a rentabilidade do patrimônio líquido.

Todos são muito fáceis de calcular com dados obtidos nas demonstrações financeiras de uma empresa divulgadas todos os trimestres. Vamos conhecê-los!

Giro do ativo

O giro do ativo é calculado pela fórmula: vendas líquidas (ou receita líquida) ÷ ativo total. Esse índice de rentabilidade nos mostra a proporção entre o volume de vendas líquidas e os investimentos totais efetuados na empresa.

Em outras palavras, o quanto a empresa vende quando olhamos relativamente ao total dos ativos que ela possui. Ou seja, quantas vezes a empresa girou seu ativo em determinado período.

Empresas varejistas e com margens baixas tendem a ter um alto giro do ativo, pois sua lucratividade está no volume de vendas. Quanto mais vendas, mais lucro. Empresas com margens mais altas, tendem a girar menos o ativo. Esse indicador influenciará diretamente o ROE, taxa que vamos aprender a seguir.

Fórmula de cálculo do giro do ativo
Fórmula de cálculo do giro do ativo

Margem líquida

A margem líquida é calculada pela fórmula: lucro líquido ÷ vendas líquidas (ou receita líquida). Esse índice nos mostra lucratividade obtida pela empresa em função de seu faturamento. Ou seja, quanto de lucro cada venda líquida gerou. É importante ressaltar que aqui utilizamos o lucro líquido, que é o que sobra depois de a empresa pagar impostos e despesas.

Em um exemplo hipotético, imagine que a empresa venda latinhas de refrigerante. Ela obteve R$ 0,10 de lucro líquido em cada latinha que vendeu a R$ 1,00. Logo, a margem líquida é de 10%.

A margem bruta, por sua vez, é calculada pelo lucro bruto ÷ receita líquida (vendas líquidas). Ela é igualmente importante, pois confere ao analista quanto vai sobrar das vendas para pagar as despesas.

Perceba também que é possível que a empresa apresente margens negativas, quando reportar prejuízo ao invés de lucro. Assim, o numerador da fórmula fica negativo e, de cara, acende um alerta vermelho para o investidor.

Fórmula de cálculo da margem líquida
Fórmula de cálculo da margem líquida

Rentabilidade do ativo

A rentabilidade do ativo é calculada pela fórmula: lucro líquido ÷ ativo total. Com esse índice vamos averiguar o potencial de geração de lucros por parte da empresa para cada real de investimento total. Logo, assim como os anteriores, quanto maior, melhor!

Esse indicador é extremamente útil quando exploramos o estudo da empresa no longo prazo e podemos observar om quanto o seu ativo total permanece lucrativo ao longo do tempo ou vai perdendo força.

Uma empresa que aumenta o lucro mantendo o ativo total quase inalterado está reportando um grande ganho de eficiência, reduzindo os riscos e despesas, concorda?

Outro tipo de investigação que pode ser feita é se a geração de lucro líquido está acompanhando a expansão do ativo da empresa. Melhor dizendo: quando a empresa cresce, o lucro líquido cresce junto?

Fórmula de cálculo da rentabilidade do ativo
Fórmula de cálculo da rentabilidade do ativo

Rentabilidade do patrimônio líquido (ROE)

A rentabilidade do patrimônio líquido (ROE) é calculada pela fórmula: lucro líquido ÷ patrimônio líquido. Talvez, este seja o principal e mais observado índice de rentabilidade por parte do mercado, gestão da empreas e investidores.

Na prática, no ROE (Return on equity, no inglês), é observado quanto de lucro líquido é gerado em relação ao patrimônio líquido. Isto significa o quanto de lucro líquido foi gerado em relação ao valor que sócios majoritários e demais acionistas aplicaram na empresa.

O patrimônio líquido é um dos grupos de contas mais importantes de uma balanço patrimonial, já que representa a diferença entre os ativos e passivos da empresa. Em outros termos, mostra o quão rica é a companhia e o que realmente pertence aos seus sócios.

Então, se esse patrimônio é rentável, é um ótimo indicador para o investidor. Do mesmo modo como todos os índices que examinamos anteriormente, quanto maior, melhor!

Fórmula de cálculo da rentabilidade do patrimônio líquido

A análise dos índices de rentabilidade na vida do investidor

Como dito anteriormente, nenhum dos índices de rentabilidade tem utilidade isoladamente. Uma das boas práticas para o investidor de sucesso é analisá-los perante uma gama de outros termômetros financeiros.

Portanto, o investidor deve averiguar esses índices e compará-los com concorrentes do mesmo setor e ver quem se destaca e por quê, podendo, assim, escolher uma ação com mais tranquilidade. Uma empresa pode ter o ROE maior, mas outro concorrente pode ter margens mais sólidas.

Em uma interpretação mais ampla, contrapor esses indicadores ao longo de vários e vários anos para checar como se comportam em diferentes momentos da vida da empresa e dos ciclos econômicos (expansão e recessão). Assim dizendo, pode ser que uma empresa apresente bons números apenas por um curto período de tempo.

Por fim, nota-se como os índices de rentabilidade, estrutura de capital e liquidez se mantém ou no longo prazo frente aos concorrentes e novos entrantes, sustentando uma boa posição de mercado e market share, gerando real valor para o acionista.

Confira a análise completa dos índices de rentabilidade, estrutura de capital e liquidez outros indicadores da Weg (WEGE3) em um artigo completo!

Investidor buy & holder, co-fundador do Diário de Investimentos, jornalista (17.248/MG), fotojornalista, escritor, graduando em ciências econômicas, estrategista de conteúdo na área de Marketing Digital e especialista em gestão estratégica da comunicação e comunicação digital e mídias sociais.
Post criado 30

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo