Investimentos em 2022: saiba como iniciar os seus

Uma pessoa que se propõe a buscar Investimentos em 2022 deve ter a consciência de saber onde aplicar o dinheiro, pois há diversos riscos que o mercado de ações pode proporcionar se não for utilizado com conhecimento e estratégia. 

Caso contrário, a tomada de decisão também pode ser prejudicada.

A quantidade de informações de investimento disponíveis pode ser esmagadora. Você pode encontrar, de maneira fácil, escolhas aleatórias, que se mostram imprudentes.

Por isso, é importante buscar por canais e portais de confiança, bem como é crucial acompanhar o mercado como um todo e buscar por avaliações sinceras e, de início, pode ser interessante contar com o suporte de profissionais ou um mentos.

Além disso, acompanhar determinadas opções de investimentos para 2022 e entender o que motiva essa potencialidade pode ajudar a proteger sua riqueza e seu futuro financeiro. 

No entanto, antes de olhar as diferentes opções de investimento, vale iniciar identificando qual a melhor estratégia para quem está chegando agora no mundo dos negócios de ações e aplicações financeiras neste momento.

Por isso, desenvolvemos o material a seguir para te ajudar nesse processo.

Como começar a investir?

Desde o princípio, é importante ressaltar que investir não precisa ser algo complicado ou confuso. 

Pelo contrário, identificar oportunidades de negócios se mostra uma das melhores decisões de longo prazo que uma pessoa pode tomar.

No entanto, é preciso conhecer um pouco mais e identificar o próprio perfil de investimento para fazer escolhas mais acertadas, evoluindo os investimentos.

Então, se você acha que está pronto para encarar as diversidades que os investimentos em 2022 podem oferecer, é preciso seguir alguns passos antes de seguir adiante. 

  1. Tenha um fundo de emergência

Antes de começar a investir, reserve algum dinheiro em um fundo de emergência para situações inesperadas, como acidentes ou quebras de objetos, e mantenha-o separado do capital que se planeja investir. 

Investir é um empreendimento de longo prazo e, embora possa parecer fácil entrar e ganhar muito dinheiro em um curto espaço de tempo, não é assim que o investimento geralmente funciona.

Dessa maneira, especialistas recomendam que se reserve de 3 a 6 meses de despesas em uma conta particular, de fácil acesso para saque, mas que possibilite certo rendimento (para não perder valor de compra. Isso deve ser feito antes de começar a investir em ativos como:

  • Ações;
  • Criptomoedas;
  • Metais preciosos;
  • Títulos de capitalização.

Isso não significa, no entanto, que você deva parar de aumentar o fundo de emergência após 6 meses. 

Depende muito de pessoa para pessoa, pois pode-se avaliar as necessidades e até optar por ter 1 ano de despesas economizadas. 

No final, o orçamento de emergência deve atuar como uma “rede de segurança”, que tem como objetivo proteger financeiramente o indivíduo, caso algo aconteça com a sua principal fonte de renda. 

Considere o orçamento e estratégias disponíveis

Após ter dinheiro reservado suficiente para períodos emergenciais, é preciso revisar o orçamento disponível e investir o máximo que puder, ou o quanto se sentir confortável em fazer. O ideal é diversificar as opções.

Tenha em mente que o pouco que se reserva de dinheiro pode ser o suficiente para investir. 

Pequenas quantias aumentam com o tempo. Assim, é importante ser consistente e começar a investir o quanto antes. Lembre-se que a frequência pode ser até mais importante que a quantidade, quando feita de forma estratégica.

  1. Determine a tolerância de risco

Antes de colocar todo o seu dinheiro em, por exemplo, ações ou títulos do Tesouro, é preciso conhecer a sua tolerância de risco. 

A contratação de empresas que trabalham no setor de mercado de investimentos é crucial, pois ela pode apresentar uma construção de portfólio, propondo um mix de ações, títulos, criptomoedas, entre outros fundos, e tudo deve refletir a tolerância de risco.

Afinal, enquanto algumas pessoas prezam pela segurança, ou seja, menor risco de perder o valor investido – mesmo que isso acarrete em um menor retorno/rendimento – outras lidam bem com investimentos ‘menos garantidos’ mas com alto potencial de retorno.

Essas empresas podem atrair investidores a partir do Inbound Marketing, materiais em que também informam esses investidores iniciantes a partir de vídeos explicativos, ou anúncios publicados explorando ao máximo o marketing digital, promovendo mais clareza no processo de aplicação e mais segurança na definição de carteira. 

Por onde começar a investir?

De uma forma direta, você começa conhecendo as opções que, muitas vezes, dependem do país em que se vive, e da quantidade de capital financeiro que se tem disponível para o investimento. 

Por exemplo, pessoas ricas têm mais oportunidades de investir em formatos distintos, como sociedade em startups, ou empresas em início de carreira e, portanto, podem lucrar substancialmente mais, quando comparado com investidores que precisam esperar até que uma organização abra o capital. 

Sendo assim, você provavelmente terá que fazer uma pesquisa para ver quais são as opções disponíveis, de acordo com as características próprias como investidor, considerando sua situação financeira. 

Cabe ressaltar, contudo, que empresas mais consagradas e alguns segmentos podem ser opções interessantes para conhecer a tolerância ao risco e aprender como operar. 

Investir em renda fixa também pode ser um começo, já que apresenta risco menor e a movimentação na bolsa também se dá em menor grau. 

Com o tempo, e mesmo com valores mais baixos, é possível expandir a carteira e verificar novas marcas e formas de investimento.

Investimento em diferentes fundos

A diversificação é um princípio básico de investimento, totalmente projetado para reduzir risco e danos a uma carteira. 

Dessa forma, é preciso se propor a alcançar uma combinação de classes de ativos, entre ações, títulos, renda fixa, investimento na Bolsa de Valores, e uma variedade de investimentos dentro de cada um desses modelos de negócios. 

Normalmente, os investidores podem diversificar, de uma maneira segura, o capital em fundos mútuos e outros ativos, como criptomoedas, ouro e outros metais preciosos, bem como por meio do setor imobiliário. 

Conclusão

Por fim, certifique-se de que o portfólio de investimento esteja sempre bem diversificado, com uma boa mistura de ativos entre os mais arriscados e aqueles que se mostram mais seguros.

Assim, é possível encontrar o equilíbrio perfeito e a proteção contra possível desaceleração do mercado, ou ter que enfrentar crises globais que afetam os negócios investimentos pontuais.

Post criado 3

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo