Diversificação vs pulverização entenda as diferenças

Diversificação vs Pulverização de ativos: entenda as diferenças

A relação diversificação vs pulverização é muito famosa no mundo dos investimentos. Ela é fundamental na hora de montar sua carteira de finanças, por isso é muito recomendada.

Esses conceitos geram um bom resultado a longo prazo, mas quando aplicados de maneira errada, você terá prejuízo.

Entenda no artigo como essa relação funciona e qual desses conceitos é mais interessante. Ainda, veja a melhor forma de colocá-los em prática para tornar seus investimentos mais eficientes.

Qual a diferença entre diversificação vs pulverização

Muitas pessoas acreditam que esses termos querem dizer a mesma coisa. No entanto, isso é um erro comum e que pode trazer consequências ruins para suas finanças. 

A seguir entenda o que é diversificação vs pulverização e suas diferenças.

Diversificação

Essa é uma técnica de atenuação de risco dentro de uma carteira de investimentos. Assim, o principal intuito da diversificação é garantir que você tenha o máximo de lucro possível, enquanto os riscos das aplicações são reduzidos.

Mesmo assim, é importante ter em mente que você nunca será capaz de acabar com esses riscos. Mas, essa técnica pode reduzi-los muito, portanto vale a pena conhecê-la.

Ao usar a diversificação, você não divide seu dinheiro em vários ativos diferentes. Com isso, espera-se que uma aplicação errada não comprometa toda sua carteira.

Pulverização

A interação diversificação vs pulverização também precisa ser explicada. Esse último termo se refere a uma situação em que o investidor aplica seu dinheiro em muitos ativos diferentes. Mas, todos possuem um padrão de comportamento similar.

Isso pode fazer com que sua carteira sofra bastante com a queda de um ativo. Afinal, se ele se parece com os outros, não terá apenas um prejuízo envolvido.

Quais as diferenças entre diversificação e pulverização

A diversificação é uma estratégia eficaz e que deve sempre ser aplicada. Porque torna-se mais fácil obter um lucro maior. Aliás, lembre-se de que seus ativos estão separados.

No caso da pulverização, há um alto risco ao colocar esse conceito em prática. Imagine que você investe em 5 ativos e todos se comportam da mesma maneira. Caso haja alguma queda em um deles, terá um prejuízo maior.  Por isso, é muito importante verificar qual a correlação entre estes ativos.

É por isso que analisar a diversificação vs pulverização é sempre válido. Inclusive, muitos especialistas indicam que você só considere a primeira estratégia.

Como reconhecer cada um

Não existe maneira melhor de reconhecer esses conceitos do que estudar o comportamento dos seus ativos. Só assim você vai ser capaz de entender como cada um deles funciona.

Conheça os riscos na diversificação vs pulverização

Os riscos são tópicos muito importantes desse assunto, de modo que não tem como esquecê-los. Existem diversos tipos, então, é interessante dividi-los em duas grandes classes.

Riscos sistêmicos 

Esse é aquele tipo de risco que impacta a economia como um todo. Sendo assim, ele não faz nenhuma distinção entre empresas. 

Um bom exemplo de risco sistêmico é a própria pandemia do Covid-19. Afinal, ela afetou toda a economia, sendo chamado também de risco não diversificável. Algo muito importante quando se fala de diversificação vs pulverização.

Riscos não-sistêmicos

O não-sistêmico é tido como o tipo de risco que é mais direcionado, afetando apenas uma parte da economia. 

Então, imagine o seguinte cenário em uma empresa de marketing digital. Nesse tipo de risco pode ser que só um setor da companhia seja afetado. Assim, ele é considerado diversificável. 

O mais interessante é que existem estratégias que podem te ajudar a se proteger desse perigo.

Como diversificar melhor uma carteira de investimentos

Entendendo os riscos envolvidos, é hora de conhecer como diversificar seus investimentos. Lembre-se que só se pode tomar medidas protetivas contra aquilo que é não-sistêmico. Então, deve-se aprender a usar a estratégia de diversificação de maneira inteligente.

Esse conceito se resume em separar o dinheiro, ao mesmo tempo em que se protege do risco de um ativo em outro. Pense em um cenário em que você adquiriu ações da Pague Menos, isso vai te ajudar a entender melhor a relação diversificação vs pulverização.

Nesse caso, os papéis podem desvalorizar devido a uma situação que ocorreu na empresa. Assim, se você aplicou o conceito de diversificação, investindo em outros ativos, tudo bem, pois seu prejuízo será atenuado.

Agora, essa divisão em novos ativos nem sempre é o suficiente. Logo, deve-se analisar a correlação entre eles, para não pulverizar seu dinheiro. Confira a seguir quais os tipos de interação que existem:

  • Interação positiva: quando um ativo sobe, ele ajuda os outros a subirem também;
  • Correlação negativa:  quando um determinado ativo sobe, os outros tendem a descer;
  • Interação neutra: não existe nenhuma influência entre os ativos na sua carteira.

Exemplos práticos dos tipos de correlação

As ações da Pague Menos e o preço dos medicamentos são um excelente exemplo de correlação positiva. Afinal, quando um desses pontos valoriza, o outro também segue a mesma lógica. Perceba aqui a relação diversificação vs pulverização.

Em contrapartida, isso deixa a companhia suscetível a um risco não-sistêmico. Além disso, o dólar e o Ibovespa ditam um tipo de interação negativa. Quando o risco de um país é alto, os investidores tendem a ficar com medo.

Como alternativa, eles vão partir para opções que são mais seguras, como o dólar. Então, esse último valoriza, enquanto o índice Ibovespa cai.

Por isso que ao diversificar sua carteira, deve-se selecionar ativos de correlação negativa. Com ele, a queda de um pode significar a ascensão de outro.

Qual o número ideal de ativos?

É muito importante pensar nisso para não acabar pulverizando a sua carteira. De fato, existe um número ideal de ativos que você deve possuir. O criador da teoria da carteira foi Harry Markowitz e ele afirma algo bem importante.

Segundo ele, é interessante ter um total entre 15 e 20 ativos. Assim, ele chegou a essa conclusão estudando os riscos não-sistêmicos. Sua avaliação mostrou que eles reduzem quando chegam ao 15º ativo na carteira. 

Em seguida, a queda ainda é grande até o 20º ativo. Depois disso, não há qualquer ganho significativo na atenuação do risco não-sistêmico. Ou seja, fora esse intervalo, você vai estar pulverizando a sua carteira.

Agora, para entender a relação diversificação vs pulverização você deve não focar apenas nos números e sim na interação entre eles. Logo, pense que de nada adianta ter 14 ativos se todos eles têm interação positiva.

O que é melhor: diversificação ou pulverização?

Até aqui você já percebeu que a pulverização traz um risco muito alto. Portanto, evite aplicar essa estratégia. Ainda, caso opte por colocá-la em prática, deve-se ter muito planejamento.

Já a diversificação te ajuda a conter os riscos, por isso tornou-se a mais popular entre os investidores. Contudo, nenhum desses conceitos deve ser aplicado de forma aleatória.

Agora que já conhece mais sobre a relação diversificação e pulverização, é sua vez de colocar sua carteira para trabalhar em favor próprio. 

Não esqueça de considerar cada ponto exposto neste artigo. Com isso, seu lucro torna-se maior do que você imagina. Além disso, evita perdas e prejuízos que podem acontecer a qualquer momento.

Diversifique seus investimentos

Por fim, vale reforçar para apostar em uma carteira diversificada. Assim, você garante mais chances de ter bons resultados. Além disso, em situações de crises, pode ser que não seja afetado.

Verifique as melhores áreas de investimento e cuide da sua carteira, com isso terá mais lucros e menos riscos.

Brasileiro, investidor curioso de renda variável, professor de pós-graduação na PUC Minas na área de Marketing Digital, atua como Consultor de Marketing Digital e Gestão de CRM atendendo empresas de diversos portes. Tem formação em Business Marketing pela Ohio University, Gestão de Pessoas e Especialista em Desenvolvimento Web pela PUC Minas e Produtor Multimídia pela UniBH. Também é fundador do Diário de Investimentos, Aplicativo Tricks (Guia Radical), Teste de Digitação Online e da Digitow - Plataforma de Digitação. No tempo livre é fotógrafo, viajante no mundo e praticante de esportes radicais. blogueiro no portal de experiências CV do Fábio.
Post criado 77

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo