Reserva de emergência

Reserva de emergência: aprenda como funciona

Possuir uma reserva de emergência é essencial para ter uma boa segurança financeira. Infelizmente, no Brasil ainda se fala pouco sobre isso. Então, é essencial que o tema seja cada vez mais democratizado.

Isso permite que todos encontrem formas de ganhar mais estabilidade. Portanto, descubra neste artigo como fazer uma boa reserva e o que você precisa levar em consideração em seu planejamento.

O que é uma reserva de emergência?

Ela pode ser definida como uma quantia de dinheiro que você reúne em um determinado período. Assim, torna-se possível ficar mais tranquilo quando se passa por um momento financeiramente complicado ou uma situação inesperada.

Esses momentos podem ser uma demissão, um acidente de carro ou até mesmo, uma reforma inesperada. Assim, é com a reserva de emergência que você consegue lidar com esses imprevistos sem nenhum desespero.

Quem deve fazer

Não existe um perfil específico, então todo mundo deve ter uma reserva dessas. Afinal, não é possível evitar o acaso e qualquer pessoa pode passar por um cenário em que o dinheiro fica escasso e é necessário em algum momento de emergência.

Imagine que houve um enorme vazamento e você vai precisar reformar o banheiro da sua casa. A solução que a maioria das pessoas pensaria era logo em buscar um bom empréstimo. No entanto, teria que lidar com juros altos.

Com esse montante guardado você se livra dessas taxas. Sendo assim, todo mundo deve se organizar para montar sua reserva financeira.

Por que fazer uma reserva de emergência

Sem dúvidas o principal motivo é a segurança futura que ela proporciona. Isso é algo que vale para qualquer tipo de investidor, tanto para o mais agressivo quanto para o mais cauteloso, mas o que muda de fato é a quantia final da reserva e das outras aplicações.

Agora, é importante ter muito cuidado na hora de começar a montar esse esquema, porque existe uma ordem que deve ser preservada. Então, primeiro você deve focar em juntar o montante ideal.

Só em seguida, é que se deve pensar em iniciar outros tipos de investimentos financeiros. Ainda, nesse momento mais futuro, você também precisa buscar diversificar e rentabilizar mais sua carteira.

Montar uma reserva de emergência ajuda até os investidores mais ousados. Afinal, ela vai te dar segurança para focar em qualquer aplicação que seja arriscada. Ou seja, seu montante vai te permitir combater melhor os imprevistos, por isso é importante tê-lo.

Como criar uma reserva de emergência

Não ache que você deve começar logo juntando dinheiro, muito pelo contrário. É necessário ter calma e fazer um bom planejamento financeiro. Assim, organize todas as suas contas e registre quanto ganha de fato.

Isso é importante para que você consiga cortar gastos desnecessários. Também, esse planejamento pode ser feito visando apenas uma pessoa ou toda a família. No final, a lógica usada é a mesma para as duas situações.

Passo a passo para iniciantes

Você primeiro precisa estabelecer uma quantia para poupar todo mês. Muita atenção, tendo em vista que a meta deve ser sempre realista e com base nos dados obtidos no seu planejamento.

O próximo passo para montar sua reserva de emergência é decidir onde aplicar o dinheiro. Assim, opte por alternativas que tenham semelhança com seu perfil e alguns exemplos são:

  • Tesouro direto;
  • Fundo de Investimento de Renda Fixa.

Ainda é possível deixar as transações automatizadas a depender da plataforma escolhida. Por fim, lembre-se de se manter firme na sua organização feita previamente. Com isso, todo o processo descrito deve ser consciente e prático.

Qual o valor ideal para uma reserva de emergência?

Existe uma lógica para determinar a quantia ideal que seu montante deve ter. Então, pegue seu planejamento em mãos e olhe quanto você gasta mensalmente. Em seguida, multiplique esse valor por pelo menos 6. Lembrando que este é um valor base, você deixar uma emergência de 12 meses, se assim se sentir mais confortável.

Isso vai te dizer a quantia que você precisa juntar para ficar seis meses tranquilo. Portanto, vamos para um exemplo mais didático assim, acompanhe o esquema a seguir de reserva financeira.

Joãozinho

  • Renda mensal: R$ 1.500,00;
  • Gastos residenciais: R$ 450,00;
  • Transporte: R$ 105,00;
  • Alimentação: R$ 195,00;
  • Saúde: R$ 45,00;
  • Gastos emergenciais: R$ 795,00;
  • Montante que deve ser reunido na reserva: R$ 4.770,00.

Veja mais um exemplo para compreender o assunto.

Maria

  • Renda mensal: R$ 5.000,00;
  • Gastos residenciais: R$ 1.500,00;
  • Transporte: R$ 350,00;
  • Alimentação: R$ 650,00;
  • Saúde: R$ 150,00;
  • Lazer: R$ 100,00;
  • Gastos emergenciais: R$ 2.750,00;
  • Montante que deve ser reunido na reserva: R$ 16.500,00.

Comece aos poucos

Não pense que você deve reunir esse dinheiro de uma vez, vá juntando aos poucos. Ao fazer isso, vai estar aplicando com rentabilidade.

Isso quer dizer que pode resgatar a qualquer momento em casos de necessidade. Também, um erro comum é que alguns acabam gastando o montante quando não deviam. A reserva financeira não deve ser usada para os seguintes casos:

  • Custos médicos que não são cobertos pelo plano de saúde;
  • Consertos simples no carro ou casa se houver algum tipo de acidente;
  • Manutenção de aparelhos eletrônicos que não possuem seguro.

Como escolher um investimento para reserva de emergência

Seu montante precisa apresentar liquidez, ou seja, pode resgatá-lo a qualquer hora. Assim, você deve tomar muito cuidado na hora de escolher um tipo de investimento. Opte sempre por aplicações que tenham os seguintes elementos:

  • Segurança;
  • Liquidez;
  • Volatilidade.

Qual a melhor opção para investir a reserva de emergência

Atualmente, o Tesouro Selic ocupa essa posição com maestria. Os títulos dessa alternativa são emitidos pelo governo de modo que você só não recebe seu dinheiro se o país quebrar. 

Sendo assim, entre as possibilidades existentes, essa é a que apresenta um risco menor.

Sua reserva de emergência fica segura no Tesouro Selic. Ainda, você pode resgatar um dia e no outro, o dinheiro já cai na sua conta. Isso sem contar que a rentabilidade é diária, e você pode acompanhar seu investimento o tempo todo. Mas lembre-se, não se compare com outros investidores, cada um tem seu próprio perfil.

Essa alternativa é capaz de render 100% da taxa básica de juros do país. Assim, você não corre risco de sua aplicação valer menos do que o esperado. Isso claro, em casos em que resgata-se antes do tempo previsto.

Por fim, tenha em mente que a rentabilidade não deve ser o fator mais importante aqui. Afinal, estamos falando de reserva, então, o principal objetivo é sempre proteger seu patrimônio.

Vale a pena utilizar a poupança?

Uma das escolhas de muitas pessoas que são iniciantes no universo das finanças, mas ao optar pela poupança para deixar sua reserva de emergência, você perde uma série de oportunidades excelentes. Veja como é o rendimento dela logo a seguir:

  • Opção 1: 0,5% ao mês, caso a SELIC seja maior que 8,5% ao ano;
  • Opção 2: 70% da SELIC caso ela seja menor do que 8,5% ao ano.

Aposte na melhor forma de guardar a reserva de emergência

Como é possível perceber, não se ganha tanto com a poupança. É claro que como falamos, a rentabilidade não é o fator chave, mas ele também merece ser considerado.

Comece a poupar

Poupar dinheiro não é uma tarefa tão simples. Então, veja algumas dicas que podem te ajudar nesse processo:

  • Conheça bem suas finanças;
  • Estabeleça um valor para poupar mensalmente;
  • Pense sempre em curto, médio e longo prazo;
  • Cuidado com os gastos parcelados;
  • Corte aquilo que não é necessário.

Por fim, agora é a sua vez de colocar as coisas em prática. Portanto, comece seu planejamento e monte sua reserva de emergência agora mesmo. Assim, ficará mais tranquilo durante imprevistos e problemas.

Foto de Micheile Henderson em Unsplash

Brasileiro, investidor curioso de renda variável, professor de pós-graduação na PUC Minas na área de Marketing Digital, atua como Consultor de Marketing Digital e Gestão de CRM atendendo empresas de diversos portes. Tem formação em Business Marketing pela Ohio University, Gestão de Pessoas e Especialista em Desenvolvimento Web pela PUC Minas e Produtor Multimídia pela UniBH. Também é fundador do Diário de Investimentos, Aplicativo Tricks (Guia Radical), Teste de Digitação Online e da Digitow - Plataforma de Digitação. No tempo livre é fotógrafo, viajante no mundo e praticante de esportes radicais. blogueiro no portal de experiências CV do Fábio.
Post criado 77

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo